Sou gorda e não tenho amor-próprio: 9 dicas de como começar a se amar!

Eu sempre fui gorda, desde criança, e cresci achando que o meu corpo determinava quem eu era na sociedade. E, de certa forma, eu não estava errada: eu era julgada pela minha aparência no colégio, pelas amigas e até na família rolou. Assim, me tornei uma mulher adulta gorda e sem amor-próprio, com a autoestima no chão.

Depois de um processo longo de desconstrução, encontrei o feminismo e me tornei ativista corporal e, em 2016, fiz no meu canal do Youtube a Maratona do Amor-Próprio, que em 31 dias você consegue desenvolver uma fagulha de amor por si mesma. Mas como a gente gosta de coisa prática, se liga na lista abaixo com 9 dicas legais para começar esse processo de autoamor!

1) Pare de se ignorar 

Repara só numa coisa: já percebeu que quando você está se sentindo mal consigo mesma você deixa o espelho de lado, evita se olhar, fica se ignorando o tempo todo? Pois é. Eu sei que não é fácil, mas experimente fazer isso todos os dias e perguntar: “Tá tudo bem?”. Pode parecer meio esquizofrênico, haha, mas dar atenção para você mesma é o primeiro passo para iniciar o amor-próprio. Vá por mim!

2) Você não é um número!

Você precisa saber que um número não pode – mesmo – definir quem você é! Seja o que aparece na balança ou o tamanho das suas roupas, nada disso te representa nem diz nada a respeito de você além do fato de que você é gorda, amiga. E não tem nada de errado nisso 😀

3) Não se odeie 

Quando você começa a se olhar, se perceber, é normal se deparar com partes suas pouco agradáveis. Ok, tá tudo bem. Ninguém é perfeito, nem obrigado a amar TUDO que tem, normal. Mas se liga numa coisa: não foque nisso. Veja o que você pode – e quer, mesmo – mudar; e o que não é mutável, trabalhe para que, ao longo dos dias, a percepção seja ressignificada. Você prefere passar sua vida inteira odiando quem é, detestando partes do seu corpo, ou lutar para se trabalhar e se amar todos os dias? Pensa nisso!

4) Descubra seus pontos fortes 

Quem nunca se deparou com uma situação dessas: você tem que se definir em poucas palavras, falar seus pontos fortes e os fracos. Tá, mas quais você consegue enumerar primeiro? Os que você não gosta sempre são mais fáceis, né? Nesse processo de autoconhecimento é necessário fazer uma autoanálise e refletir sobre o que há de melhor em você. Como falei ali em cima, você é muito mais do que um número e aparência. Pesquise suas qualidades e veja a maravilha de serumaninho que tu é, menina! É importante ter noção dessas coisas e reconhecê-las!

5) Pare de se comparar 

Quem nunca ouviu de pessoas mais velhas, quando na infância: “Ah, sua amiguinha é magra, você podia ser como ela” ou “Nossa, como a fulana consegue e você não?”. Essas coisas machucam, não são legais, mas rolam até hoje, principalmente nessa sociedade machista em que vivemos. Aí você cresce e se torna uma pessoa que está sempre se comparando com as outras mulheres.

O problema da comparação é que ela é um gatilho para a inveja, que só faz mal a quem sente, sabe? Que tal parar de seguir algumas pessoas nas redes sociais (vocês sabem quem te faz mal, né?), parar de ler conteúdos nada a ver com a sua vida e de dar ibope para programas que só te deixam pior consigo mesma?

6) Livre-se de pessoas tóxicas 

Quando estamos nesse processo de encontrar o amor-próprio e vemos que precisamos parar com a comparação é normal que a gente olhe em volta e perceba as pessoas que andam com a gente. A verdade é que muitas vezes nem conseguimos dizer como ficamos amigas de algumas delas. Só aconteceu, a vida trouxe vocês até aqui… Beleza, mas já parou para refletir sobre essa amizade? Ou sobre grupos que você frequenta, quem você namora…

Tem gente que é tóxica, que te coloca pra baixo, que está sempre com aquela energia carregada, negativa… Quem precisa manter alguém assim na vida? Comece a reparar nas pessoas que você divide a sua vida e veja quem vale a pena manter. Assim, você aprende a dizer não para o que você não quer e sim para o que quer, sendo, de fato, dona de si mesma. Não é egoísmo pensar no que é melhor para você, tá?

7) Aceite receber elogios 

Já experimentou responder um elogio com “obrigada”? Então faça essa experiência. Não fique achando que a pessoa tá brincando, sendo educada ou esperando uma exaltação em troca. Só aceita, mana, não machuca não!

8) Se toca! 

Se você tá num dia ruim, que tal passar um make, tomar um banho gostooooso ou aplicar um creminho no corpo? É importante se tocar, cuidar de você mesma, sabe, pois isso faz um bem danado e você já dá um up na autoestima! Fique num ambiente agradável, coloque uma música boa e curta estar com a pessoa mais maravilhosa desse mundo: você mesma!

9) Pratique o amor-próprio todos os dias <3 

Pronto! Seguindo essas pequenas dicas você plantou a sementinha do amor-próprio. E, para que ela floresça, é preciso regá-la todos os dias com carinho, amor e respeito por si mesma. Lembre-se: você não pode dar nada se você não tem dentro de você. É preciso se amar para amar os outros, é um fato! Então simbora nessa jornada maravilhosa?

Alexandra Gurgel

GORDA, JORNALISTA, YOUTUBER E ATIVISTA BODY POSITIVE. Siga lá no Instagram :D INSTAGRAM: @ALEXANDRISMOS

4 Comments

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>





©2013-2016 Juromano - Todos os direitos reservados