Homem plus size: como eu me aceitei e descobri meu estilo

Oi leitores(as), quero começar o post me desculpando por me ausentar essas duas semanas – correria de faculdade, trabalhos, provas e acabei não conseguindo postar. Hoje vou abordar um assunto delicado: vou contar como eu aceitei meu corpo e como me encontrei no meu estilo para o meu tipo de corpo, porque é bem difícil ser homem plus size e ter um estilo, digamos… Colorido!

Quando era mais novo, eu simplesmente me odiava, tentava todos os tipos de dietas malucas que vocês possam imaginar: água com sal e limão, parar de comer, tomar remédios escondido, coisas de maluco mesmo… Eu odiava ser gordo, nada contra quem quer emagrecer e ficar sequinho, eu queria, mas fazia do modo errado. Agora, se você não é contente com suas curvas, o melhor é que procure um especialista e não fique fazendo essas dietas loucas que só irão prejudicar sua saúde. Eu fazia essas coisas doidas e acabava me prejudicando seriamente, sem falar que nunca tinha bons resultados.

A pior fase foi mesmo no colégio onde o bullying era constante, eu sempre era o ÚNICO gordo da sala e principalmente os garotos me zombavam demais. Até uma certa fase da minha vida isso me prejudicava, porque eu era muito influenciado, até mesmo amigas me diziam que se eu fosse magro eu poderia ser bonito. Foi aí que comecei a tentar ficar magro, nessa época ainda não tinha uma mentalidade de entender que ser gordo tem sua beleza e diferenciais únicos, então tudo que me diziam me deixava pra baixo, eu ficava muito triste, muito mesmo.

Depois de anos que isso foi passando, eu com a doideira de emagrecer que não passava, acabei dando uma esticada e isso fez parecer que eu havia emagrecido – só que na verdade eu só cresci um pouco, eu era muito mais baixo que sou e redondo HAHAHA, No terceiro colegial eu tive mais contato com o mundo da moda, que era tudo lindo, tudo fantasioso, tudo perfeito. Só que eu só via pessoas magras e altas, isso foi outra frustração para mim, como eu gordo e baixo vou me encaixar nesse meio? 

Com isso, fiquei sem saber como me encaixar nesse universo que requeria corpos nos padrões, mas cada vez que me aprofundava na moda, mais eu gostava. Eu desenvolvi o gosto por criar desenhos de moda – o “Croqui”, e assim fui cada vez mais me apaixonando… E então foi aí que me deparei com o primeiro editorial PLUS SIZE e fiquei “CARACAAAAAA, existe sim um espaço para gordo no meio da moda!”. Embora não fosse algo tão visualizado, havia sim um espaço voltado para esse público, então minha curiosidade me fez pesquisar cada vez mais sobre moda plus size e perceber que eu poderia ser quem eu sou e estar no meio da moda.

Conheci o blog da Ju Romano, que pra mim foi uma grande inspiração, me ajudou a me amar mais e aceitar que sou assim e isso faz parte de quem eu sou e devo mostrar que não há nada de errado nisso. Comecei a procurar blogs e referências Plus size e foi assim que me aceitei, percebi que não é e nunca foi errado ser gordo, porque temos nossa beleza, temos e podemos usar e fazer tudo que um modelo magro pode fazer. Desenvolvi gosto por ser fotografado, porque antes disso foto para mim era morte, odiava um click. Hoje AMO!

homem-plus-size-como-me-aceitei-1

homem-plus-size-como-me-aceitei-5

homem-plus-size-como-me-aceitei-2
homem-plus-size-como-me-aceitei-6

homem-plus-size-como-me-aceitei-3

homem-plus-size-como-me-aceitei-4

homem-plus-size-como-me-aceitei-7

Agora, como desenvolvi meu estilo?

Daí pra frente foi fácil, eu sempre fui apaixonado por cores, mistura de cores, mix de estampas, então quando resolvi fazer moda eu precisava me encontrar dentro de um estilo que me representasse e que eu me sentisse confortável em usar. Foi aí que notei que eu não gosto do sóbrio e muito menos do básico, eu gosto de cores! De coisas diferentes que chamem atenção, não gosto de passar despercebido.  Então uma marca registrada minha são as camisas com muita cores, estampas florais, calça com estampa ou não, sapatos com cores. Digamos que quando estou de bom humor arrisco um color blocking, esse estilo era muito usado nos anos 80, onde tudo tinha brilho, cores, felicidade, discotecas – seria a década ideal para que eu vivesse.

Sobre estilo, acredito que cada um de alguma forma desenvolve o seu, acho que estilo é algo livre para que você possa explorar até olhar e dizer “é assim que gosto de me vestir, é assim que me sinto confortável”, porque além de tudo tem que ser confortável.

Agora respondendo à pergunta de um leitor (Danilo @ojisanroy): “Como ser estiloso?”

Danilo, ser estiloso é procurar uma harmonia entre as peças que você está usando, mas acima de tudo é você estar bem consigo mesmo, vestir coisas que aumentem o seu bom humor, procurar peças que você se sinta feliz e confortável em usar, ser livre e usar o que gostar quando quiser! Uma pessoa estilosa é aquela que assume seus gostos e não fica tentando agradar ou se encaixar.

 

Meus amores esse é o post de hoje, espero que vocês tenham gostado e isso foi só um pequeno resumo de como me aceitei e me encontrei no meu estilo. Nos vemos semana que vem! Me sigam nas redes sociais para me acompanhar por lá também.

 

Instagram: @juliofz

YouTube: Canal Julio Fernandez

Snapchat: itboyjuliofz

Júlio Fernandez

Colunista

Meu nome é Júlio Fernandez, tenho 22 anos, sou do interior de São Paulo, estudante de moda, maquiador, cabeleireiro e apaixonado por esse universo fashion. Estou mega feliz em poder compartilhar com vocês mais sobre moda para homens Plus Size.

1 Comment
  1. Que lindoooo, ameei!!! Adorei sua linguagem, é bem espontânea e objetiva. Culturalmente os homens não são estimulados a conhecer seus corpos e, consequentemente a se vestirem, então gostaria de sugerir que você explicasse um pouco a questão dos biotipos, que influenciam muito na hora de escolher as peças e tals, né? Linda iniciativa!! Parabéns!!

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>





©2013-2016 Juromano - Todos os direitos reservados