Vai… E se der medo, vai com medo mesmo!!!

Esses dias eu estava pensando, a gente nunca consegue adivinhar o futuro, por mais que tentemos. Quando a gente imagina daqui 10 anos é obvio que imaginamos errado, porque afinal, olhamos com os olhos de hoje para um mulher 10 anos mais madura. São os tombos do dia a dia que nos fazem crescer, amadurecer e expandir nosso pensamento. Então, por que temos tanto medo desses tombos?

medo de cair

Foi uma reflexão baseada em trabalho mesmo, mas depois percebi que se aplica a tudo na vida. A gente tem essa mania péssima de dizer “eu nunca…”. Eu nunca vou conseguir me achar bonita. Eu nunca vou conseguir crescer na carreira. Eu nunca vou encontrar a pessoa da minha vida. Eu nunca vou conseguir me livrar desse amor meia boca. Eu nunca vou me reconciliar com a minha família. Eu nunca vou ser eu mesma… Eu nunca vou ser completamente feliz.

E por esse falta de visão de futuro, afinal não temos bola de cristal, acabamos nos convencendo durante anos. Ignoramos a experiencia de se levantar e ficamos só com a memória do tombo. Deixamos de tomar atitudes drásticas e medidas imediatas, por puro medo do depois. Nem nos damos conta de que o depois é hoje, o depois foi ontem e anteontem. E a gente continua vivendo uma vida que poderia ser, mas nunca será.

Fico me perguntando: o que estamos esperando? Por quem estamos esperando para tomar as rédeas da nossa própria vida? Por que esperamos o tempo passar sem dar uma chance ao inédito?

Se a gente não fizer nada hoje, amanhã tudo continuará igual. Daqui a 10 anos, olharemos para trás e veremos o que poderíamos ter sido, mas jamais fomos. Por medo e por não sabermos o que o futuro nos reserva ficamos na segurança e conforto do já conhecido e ignoramos a chance de algo melhor. Nos prendemos a pequenos detalhes do hoje e ignoramos a imensidão do amanhã.

tombo

Temos medo do tombo. Pela possibilidade de passar por momentos de turbulência, nem sequer entramos no avião. Vivemos uma vida incompleta por pura covardia de quebrar a cara.  Por preguiça de magoar os outros, seguimos em frente magoada. Por não compreendermos o que vem depois do perdão, continuamos rancorosas.

Tive esse momento de reflexão e me senti uma covarde pessimista. Como eu poderia acreditar que o amanhã seria pior?! Como eu posso ser prepotente a ponto de achar que entre todas as pessoas do mundo, eu sou a única que pode prever o futuro? Não posso, ninguém pode. Porque o futuro é baseado nas escolhas que fazemos hoje e construído em cima das experiências que vivenciamos com o passar dos dias, tanto as boas quanto as ruins.

Experiências ruins fazem parte do jogo, a gente tem que ter a coragem e a perseverança de não olhar para o próprio joelho ralado depois do tombo, mas sim erguer a cabeça e olhar para o fim da rua que nos aguarda. E se tivermos que levar mais tropeções para chegar lá, que pelo menos saibamos que temos a capacidade de nos levantarmos e cada vez ficamos mais espertas para desviar dos buracos.

No final das contas, cheguei à conclusão que até os pequenos momentos da vida são de fato muito importantes. E aquela frase de Nelson Mandela, comum nas redes sociais, é a mais pura verdade: “coragem não é a ausência do medo, mas o triunfo sobre ele”. Ou como eu gosto de colocar de um jeito menos profundo: “vai… e se der medo, vai com medo mesmo!“. Sempre falo que do chão não passa, em todos os aspectos da vida.

E aí volto para a reflexão la do início. O que me espera daqui a uma década? Não sei. Há 5 anos jamais imaginei que estaria aqui hoje e esse cenário com certeza é muito melhor do que qualquer coisa que eu poderia sequer ter sonhado. Então por que essa ansiedade de querer programar e esse medo de sair da rota traçada? Coragem, Juliana. Coragem, Maria. Coragem, Joana, Paula, Renata, Bárbara, Julia, Marcia, Tatiana, Ana…

Não coragem só para encarar os tombos do dia a dia, mas coragem para acreditar que mesmo com eles o futuro pode ser incrível. Coragem para tomar a decisão hoje do que você sonha para amanhã.

sonhos

Uma vez minha diretora no trabalho me cutucou: “Juliana, como você se imagina daqui a 10 anos? Onde você está? Que roupa está usando? Como é seu relacionamento? Como é o lugar onde você mora?“. Eu parei para pensar e antes que eu pudesse responder ela continuou: “então, amanhã mesmo eu quero te ver com essas roupas, procurando esse tipo de relacionamento e investindo seus esforços para realizar o lifestyle que você imaginou. Isso tudo agora, porque esses são seus desejos hoje e não daqui a 10 anos. Daqui a 10 anos seus sonhos serão outros”.

Ela tinha toda razão, caso contrário viveria uma vida sempre pela metade, frustrada por alguém que eu queria ser mas ainda não era. Na semana seguinte me demiti e hoje, um ano depois minha vida teve uma reviravolta em todos os aspectos. Não é como eu imaginei, é melhor.

Então, querida leitora, gostaria de te fazer esse favor que minha diretora me fez:

COMO VOCÊ SE IMAGINA DAQUI A 10 ANOS? SEM MEDO DO QUE POSSA ACONTECER OU DO TOMBO QUE VOCÊ VAI LEVAR, O QUE VOCÊ VAI FAZER HOJE PARA REALIZAR ESSE SONHO?

 

Porque afinal, só nunca caiu quem nunca sequer ficou de pé.

 

 

 

 

 

HUA HUA

BJÓN

Ju Romano

Uma gordinha, de cílios longos e pernas curtas. Defensora da liberdade de ser quem e como a gente é, sempre com muito amor próprio.

13 Comments
  1. Ju, você está super ceta.
    Precisamos arriscar mais,enfrentar o medo e puxar a coragem que está guardada lá no fundo.
    Eu tinha esse pensamento há uns meses atrás, mas ele morreu quando cada vez mais problemas foram aparecendo. A crise no Brasil, contas que não consigo pagar. Então deixei meu sonho de lado. Estou tão cansada de trabalhar para pessoas que me olham apenas como um número. Há duas coisas que amo: modelar e maquiar, mas deixei de lado por não ter condições de me profissionalizar.
    Sabe, esse seu texto me incentivou. Vou voltar a pesquisar sobre o que eu amo (Seu blog é referencia rs).
    Obrigada por esse texto lindo!
    Siga-o você também!!!

  2. Ju…era exatamente TUDO o que eu precisava ouvir. Estou saindo da casa e minha mãe, fui ver uma casinha hoje e estava pensando se eu vou dar conta de pagar, como seria morar lá sozinha. Ler o seu texto agora me deu uma força tão grande… Vc não imagina. Do chão não passa!! Obrigada Ju. Sempre!

    1. – Ta dzioÅ‚cha ma dryg O_o- Blog z literaturÄ… i komiksiarzami – coÅ› piÄ™knego. Można to przeglÄ…dać w nio›coÅ„kzoneÅsć i zawsze znajdzie siÄ™ coÅ› nowego co może natchnąć do rysowania.- Film o wielkich robotach może i niezbyt ambitny, ale a) jest krótki b) sÄ… wielkie roboty c) jest rozpiździel wiÄ™c można oglÄ…dać 🙂

  3. Passei a aula toda na faculdade martelando se tranco ou não pra ir ser Au Pair e correr atrás… Meu curso já não me faz feliz, meu trabalho está totalmente estagnado e eu só conseguia pensar no sofrimento que seria contar pro meus pais meu desejo de ‘colocar a cara no mundo’.
    E DAI VEM VOCÊ <3
    Nesses dois anos te seguindo, eu evoluiu tanto na aceitação e amor próprio. Agora tu me trouxe coragem.
    AAAAAH JU, MUITO OBRIGADA <3 <3 <3

    1. Dói amor, mas quanto mais fundo toca a gente, mais tem a capacidade de nos mudar. Eu sempre me pego nessa reflexão e sempre acabo me movendo em uma direção melhor. Espero que faça o mesmo por você! <3 <3 <3

  4. Oi Ju, gostei muito do seu texto, estava precisando dessas palavras. Ando deprimida por não conseguir ver um futuro para mim, faço uma faculdade que não gosto e que tenho medo de deixar, por achar que não tenho condições de fazer nada mais sem um diploma. Além disso, tenho mega ultra baixa autoestima e sou tímida ao extremo , não tenho amigos e, por isso, ninguém para dividir os medos e as dúvidas. Mas vamos em frente, um dia de cada vez, quem sabe um dia tudo se resolva. Me espelho muito em ti. Um beijão de outra Ju que te adora.

    1. Juuuuu esses momentos de dúvida acontecem sempre e vão acontecer muito na vida! O jeito é decidir se você quer ser assim pra sempre ou não, se não quiser, faça o que tiver que fazer para recomeçar. Nunca é tarde demais!!! Força, Ju! Qualquer coisa estou por aqui!
      Obrigada pelo carinho, linda!
      Bjón <3

Leave a Reply to Lucas Cancel reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>





©2013-2016 Juromano - Todos os direitos reservados