O tal do orgulho de ser plus size

 

Eu tenho orgulho de ser plus size. Mas, ao contrário do que possa parecer, não fico orgulhosa das minhas calças 50. O que eleva os meus ânimos é o fato de ter me libertado das amarras dos padrões – tão quadrados e sem graça. É de ter deixado para trás as cobranças sobre meu físico e conseguido, finalmente, me enxergar de uma maneira completa, sem odiar o meu corpo e investindo igualmente no crescimento tanto do que tem por fora, quanto o que tem por dentro. Eu não me orgulho de ser gorda, de ter curvas, de ter coxas, bunda… Eu me orgulho de ter o corpo que eu tenho, seja ele como for. Eu me orgulho de ser plus size, da mesma maneira que me orgulharia se fosse magérrima.  Porque eu amo cada detalhe do meu corpo. Ser plus size me deixa orgulhosa porque passei por muita coisa, sofri muito, chorei muito, antes de resolver deixar meu corpo agir por conta própria e definir finalmente como ele era. Mas se eu tivesse passado pelas mesmas coisas sendo magra (e eu poderia, sim, ter passado) eu também me sentiria orgulhosa.

tatiana-gaiao-modelo-plus-sImagem: Tatiana Gaião

Não é usando a desculpa tosca que “homem gosta de carne” ou “porque eles querem ter onde pegar” que eu tenho orgulho de ser plus size. Eu não acho que uma gorda seja melhor que uma magra e vice-versa. Eu não acho que todos os homens gostem de uma ou de outra coisa. Gosto é tão pessoal. Eu acho que enaltecer um padrão em detrimento de outro não é evoluir, ao contrário, acho que ficar diminuindo as pessoas, só porque elas são diferentes de você, é a mesma maldade e ignorância pela qual fizeram as gordas passarem durante anos. E a autoestima da mulher não é um jogo com dois times- o das magras e o das gordas – e um tem que sair ganhando. As mulheres não estão umas contra as outras e, quando elas se unem, todas saem ganhando.

Pode ser um equívoco da minha parte ou uma impressão errada, mas quando vejo algumas pessoas dizendo as frases que citei acima (“homem gosta de ter onde pegar”) ou coisas como “mas ela é muito magra para ser plus size” ou “plus size sem barriga, não é plus size”, entre outras frases desse tipo, me soa um tanto quanto como recalque. Como se toda mulher que vestisse mais de 46 tivesse que ser cheia de gorduras e dobrinhas. Eu sou plus size e tenho dobrinhas, mas sei muito bem que as pessoas não engordam da mesma maneira e nem nas mesmas regiões. Sei que uma mulher pode ser grande e ter um quadril 46 e isso não significa, necessariamente, que ela esteja acima do peso. Mas essa mulher é plus size também. Então por que ela não pode ser uma plus size sem barriga, com pernas finas? Eu não estou falando que é ela que devamos colocar como padrão, veja, eu sou totalmente contra quaisquer padrões. Mas tentar excluir essa mulher, só porque ela se aproxima de um padrão vigente, é criancice. É como excluir a coleguinha na hora do recreio porque ela tem uma lancheira mais legal.

Eu acredito que saber apreciar a beleza das pessoas, principalmente das diferentes de você, sem fazer comparações ou julgamentos, acontece quando você para de hipocrisia e realmente começa a entender o seu corpo, se aceitar e se amar. E aí, só quando este dia chegar, é que você vai poder dizer “eu tenho orgulho de ser plus size”.

 

 

BJÓN 😉

Ju Romano

Uma gordinha, de cílios longos e pernas curtas. Defensora da liberdade de ser quem e como a gente é, sempre com muito amor próprio.

1 Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>





©2013-2016 Juromano - Todos os direitos reservados
Warning: file_put_contents(): Only 0 of 10 bytes written, possibly out of free disk space in /srv/users/serverpilot/apps/blog-juromano/public/wp-content/plugins/merge-minify-refresh/merge-minify-refresh.php on line 564